Confins do Universo 112 - É guerra! Quadrinhos no front!
OUÇA
Notícias

Quatro anos sem Darwyn Cooke

14 maio 2020

Darwyn Cooke, premiado escritor, artista e animador, conhecido por obras como DC – A Nova Fronteira, Mulher-Gato e Parker, faleceu aos 53 anos, no dia 14 de maio de 2016. Na época, sua esposa, Marsha Cooke, anunciou que ele estava combatendo um agressivo câncer.

"Lamentamos informar que Darwyn perdeu a luta contra o câncer", disse a família de Cooke em comunicado. "Nós lemos todas as mensagens de apoio durante o dia de ontem. Ele pôde sentir o amor de vocês, e estava cercado por amigos e a família em sua casa, na Flórida."

Como artista, Cooke era conhecido por um estilo visual distinto, evocativo de uma era diferente – como visto em obras como DC – A Nova Fronteira, ambientado na década de 1950 –, mas ainda singularmente moderno. Seu trabalho variou desde os super-heróis retrô até a ficção policial intensa de suas adaptações dos romances Parker, de Richard Stark; e projetos alternativos, como a série da Vertigo As Crianças do Crepúsculo.

Darwyn Cooke

Cooke estreou nos quadrinhos em 1985 em Talent Showcase # 19, da DC Comics, mas levou outros 15 anos para começar a receber a devida atenção da indústria com Batman – Ego, que ele escreveu e desenhou. Enquanto isso, fez storyboards para várias séries de animação da DC, como Superman – A série animada (1996) e As novas aventuras do Batman (1997) e Batman do Futuro (1999).

Em 2001, ele se uniu ao escritor Ed Brubaker para atualizar a Mulher-Gato em uma nova série mensal. Ele ilustrou as quatro primeiras edições e redesenhou o uniforme da famosa personagem, definindo Selina Kyle para os anos seguintes. Depois, escreveu e desenhou a minissérie Mulher-Gato – Um crime perfeito, uma prequela da revista mensal.

O autor também trabalhou para a Marvel durante um breve período, contribuindo com desenhos para o aclamado X-Force de Peter Milligan e Mike Allred. Ele ainda escreveu e desenhou a minissérie Wolverine & Doop e duas edições de Spider-Man’s Tangled Web.

Mulher-Gato - Um crime perfeito Wolverine & Doop

No entanto, DC – A Nova Fronteira, de 2004, provavelmente se destaca como o trabalho individual mais significativo da carreira do quadrinhista. Ele escreveu e ilustrou a história de quase 400 páginas estrelada por muitos dos heróis mais icônicos da DC Comics. O projeto ganhou vários prêmios Eisner e Harvey, e inspirou uma adaptação animada, lançada em 2008.

Em 2007, Darwyn Cooke liderou a reformulação de um personagem clássico pela DC: The Spirit, a criação mais famosa do lendário Will Eisner.

Em outro empreendimento ambicioso e bem recebido, Cooke adaptou quatro romances policiais da série Parker, de Richard Stark, para quadrinhos, começando em 2009 com Parker – O Caçador, pela IDW Publishing nos Estados Unidos e pela Devir no Brasil. O projeto continuou até 2013 com Parker – A Organização, Parker – O Golpe e Parker – Jogo mortal.

Três de seus quatro livros Parker ganharam o Eisner Award na categoria Melhor adaptação de outra mídia.

DC - A Nova Fronteira Parker - O Caçador

Ele ainda contribuiu bastante para a controversa iniciativa, Antes de Watchmen, da DC Comics, em 2012, uma série de prequelas da clássica obra Watchmen, de Alan Moore e Dave Gibbons. Cooke escreveu Antes de Watchmen – Espectral, ilustrado por Amanda Conner; e escreveu e desenhou Antes de Watchmen – Minutemen.

Em 2014, o autor voltou à animação para o curta-metragem Batman Beyond, lançado como parte do 75º aniversário do Cavaleiro das Trevas.

Um de seus últimos trabalhos em quadrinhos foi As crianças do crepúsculo, uma minissérie em quatro edições da Vertigo escrita por Gilbert Hernandez, que foi concluída no início de 2016 e publicada no Brasil pela Panini em 2018.

"Eles me pediram para fazer. Eu olhei mais de perto o trabalho de Darwyn e pensei ‘Esse cara sabe como fazer uma história em quadrinhos’", disse Hernandez ao site Comic Book Resources, em uma entrevista realizada na WonderCon 2016.

"Eu ia escrever o mais simples possível, o mais diretamente possível, principalmente os diálogos, sem muita descrição do que está acontecendo e apenas informando que é uma pequena vila de pescadores, que se move em um certo ritmo. E ele simplesmente seguiu em frente, lindamente. Cooke sabia o que fazer.".

Darwyn Cooke fez aparições na referida convenção, poucos meses antes de sua morte.

"Nosso trabalho juntos foi um dos destaques da minha carreira e ajudou a fazer meu nome nesse meio", escreveu Brubaker, na ocasião do falecimento de Cooke. "Ele é um dos melhores artistas de quadrinhos de todos os tempos."

Antes de Watcumen - Minutemen As Crianças do Crepúsculo

Já são mais de 470 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA