Confins do Universo 112 - É guerra! Quadrinhos no front!
OUÇA
Reviews

Conan, Le Cimmérien – La Reine de la Côte Noire

Editora Glénat€ 15,5064 páginasLançado em maio de 2018

Autores: Jean-David Morvan (roteiro e adaptação), Pierre Alary (desenhos) e Sedyas (cores).

 

Edição especial.

8 setembro 2020

Sinopse

Conan está sendo perseguido e precisa se refugiar num navio mercante. Mas, assim que inicia sua jornada, o barco é atacado pelos piratas de Bêlit, a autoproclamada rainha da Costa Negra.

Vendo Conan lutar, Bêlit percebe que aquele guerreiro pode ser o parceiro que ela tanto procurava para reinar ao seu lado.

Positivo/Negativo

Este álbum, o primeiro de uma série, é resultado do vencimento dos direitos autorais dos livros de Conan, escrito por Robert E. Howard, na Europa. A Glénat aproveitou a oportunidade para adaptar as aventuras do bárbaro cimério pelas mãos de autores europeus.

O conto A rainha da Costa Negra foi publicado por Howard na revista Weird Tales em maio de 1934.

Jean-David Morvan, prolífico e popular escritor francês (de Meka, Sillage, Spirou e Fantasio etc.), adaptou esta que é uma das mais famosas histórias de Conan e a transformou numa divertida aventura em quadrinhos.

Pierre Alary (de SinBad, Paroles de Poilus, Générations Astérix etc.) tem um traço muito diferente de John Buscema, que popularizou o visual do bárbaro nas HQs norte-americanas. Seu Conan é menos avantajado fisicamente e mais humano que a versão estadunidense, mas continua bastante selvagem e valoroso em combate.

A arte é dinâmica, com uma diagramação mais moderna, que foge ao padrão europeu de quatro tiras horizontais por página.

Outro destaque é o colorido de Sedyas (pseudônimo do espanhol Sergio Román), artista que trabalhou muitos anos com animação e posteriormente voltou-se para arte conceitual de filmes e ga­mes e também para os quadrinhos.

A cor tem um papel muito importante no visual desta HQ. O resultado é diferente do que se espera de uma aventura de Conan. Mas não menos empolgante, como no combate aos piratas de Bêlit ou no confronto com uma serpente gigantesca.

A HQ traz algumas cenas de nudez e sexo, mas apropriadas para o clima da trama e seus personagens.

O resultado é uma aventura divertida e diferente, com um personagem bastante tradicional. Para alguns leitores, o estilo visual, estilizado e com um colorido mais rico, poderá causar alguma estranheza inicial.

A edição é bem cuidada e inclui o tradicional mapa do mundo hiboriano de Conan nas páginas de guarda.

No final do volume, há um caderno especial escrito por Patrice Louinet, com informações sobre Robert E. Howard, a criação de Conan e o conto A rainha da Costa Negra, e ainda sketches diversos, esboços do design da capa, e cinco pin-ups assinadas por Roberto Ricci, Andreas, Didier Poli, Gess e Tanino Liberatore.

A Glénat também publicou uma edição especial de Conan, Le Cimmérien – La Reine de la Côte Noire (assim como todos os outros dessa série) em preto e branco, com uma nova capa, reproduzida acima.

Este volume é o primeiro de uma coleção dirigida por Morvan e Louinet, responsáveis também pela curadoria. Cada álbum é feito por uma equipe diferente, adaptando uma história específica de Howard. Entretenimento garantido.

Classificação:

Leia também
Já são mais de 480 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA