Confins do Universo 112 - É guerra! Quadrinhos no front!
OUÇA
Reviews

El Macanudo Universal – Volumes 1-5

Editora Ediciones de la FlorARS $2.135,00 (atualmente esgotado)522 páginasLançado em 2009

Autor: Liniers (roteiro e arte).

 

Edição especial.

8 setembro 2020

Sinopse

Primeiro compêndio das cincos coletâneas iniciais da série de tiras Macanudo, originalmente publicadas no jornal argentino La Nación.

Acrescido de tiras inéditas, tiras apócrifas, esboços, delírios e textos.

Positivo/Negativo

Macanudo em português significa “bacana” ou, numa expressão mais informal, “bacanudo”, algo muito ou extremamente bacana.

Quem conhece a tira há de convir que é um nome muitíssimo apropriado para entender o que ela proporciona ao leitor.

Liniers criou Macanudo em 2002, e a desenha desde então nas páginas do jornal La Nación. Pouco antes, o autor havia saído do jornal Página/12, no qual publicava a tira Bonjour desde 1999. Ambas foram lançadas em coletâneas no Brasil pela Zarabatana Books.

O início de Macanudo é pequeno, como deveria ser, mas desde a primeira tira já se percebe que havia algo maior em movimento. Um universo inteiro que nasce em um ponto, o povoa de um infindável número de personagens fantásticos e faz a vida real ser mais interessante e divertida no momento em que ambos passam a coexistir.

O autor utiliza situações do cotidiano com um viés muito criativo e algumas tantas piadas antigas que são revisitadas com um novo olhar, tudo sempre leve e reconfortante. Além disso, Liniers utiliza bastante a Cultura Pop ao fazer referências ao cinema, à música, à literatura e aos próprios quadrinhos.

A desenvoltura com que Liniers transita por todas essas áreas citadas também reflete na sua inventividade na arte. Ela impressiona num primeiro momento pelo traço divertido de personagens tão diferentes entre si, e também enche os olhos do leitor com as aquarelas lindamente coloridas.

Com o passar do tempo, os personagens vão sendo gradualmente melhor desenvolvidos, em vários aspectos.

Assim, o gato Fellini aparece algumas vezes com outros personagens antes de interagir pela primeira vez com Enriqueta numa mesma tira, para iniciar uma parceria digna de melhores amigos. Com o devido respeito ao parceiro de aventura de ambos, o urso de pelúcia Madariaga, claro.

Do mesmo modo, outros protagonistas vão crescendo ao longo da série, como acontece com os pinguins, Martincito e Olga, Z-25 – O robô sensível, Oliverio – A azeitona, o Misterioso Homem de Negro, Lorenzo e Teresita, os duendes e tantos outros.

Já num segundo momento, nota-se a moldura e a diagramação inventiva das tiras, que passam a conversar mais e mais com a narrativa. Quase que sem perceber, você começa a ler o que considera ser uma tira convencional e termina encantado e com os olhos faiscando.

Liniers utiliza como materiais principais tinta, aquarelas e acrílicos, mas quando tudo isso se combina com seu texto simples e delicado, as tiras chegam ao ponto do intangível, do apaixonante e do acalentador.

Desde o fim de Calvin e Haroldo, em dezembro de 1995, e Peanuts, em fevereiro de 2000, nenhuma tira em quadrinhos impressionou ou emocionou tanto este resenhista quanto Macanudo. Não por acaso, Liniers faz constantes homenagens aos personagens geniais de Bill Watterson e do saudoso Charles Schulz.

No Brasil, Liniers já ganhou dois Troféu HQ Mix. Em 2009, de Melhor Desenhista Estrangeiro e, em 2012, de Melhor Publicação de Tiras. Respectivamente, pelo primeiro e quarto volumes da Zarabatana Books. O último publicado pela editora foi o décimo da série.

A versão da Ediciones de la Flor é excelente, com papel bom, formato grande (21 x 30 cm), capa dura e uma sobrecapa com plástico duro e colorida.

Vale mencionar que esta é a última obra de Macanudo pela editora. A partir do sexto volume, a tira passou a ser publicada pela La Editorial Común, editora fundada por Liniers e sua mulher, Angie Erhart Del Campo.

Além dos cinco volumes aqui compilados, são mais de 80 páginas de tiras inéditas nunca publicadas em compilações anteriores e muitos esboços – dentre estes as primeiras aparições de Enriqueta (ainda sem nome), Madariaga e o Misterioso Homem de Negro.

Na seção apócrifos, mais de uma dúzia de artistas revisita os personagens de Macanudo, dentre eles os cartunistas Diego Parés e Max Aguirre, que também publicam tiras no La Nación.

Nos extras, ainda tem espaço para duas histórias assinadas por Liniers e fecha a edição uma entrevista com o próprio autor feita pelo amigo e cartunista Kioskerman.

El Macanudo Universal é um álbum estupendo, que faz jus aos seus adoráveis personagens e ao magnífico trabalho de seu autor.

Classificação:

Leia também
Já são mais de 470 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA