Confins do Universo 112 - É guerra! Quadrinhos no front!
OUÇA
Reviews

SETE SOLDADOS DA VITÓRIA #4

1 dezembro 2007


Título: SETE SOLDADOS DA VITÓRIA #4 (Panini
Comics
) - Minissérie em 8 edições

Autores: Os delinqüentes - Grant Morrison (texto) e Frazer Irving (arte);

A última batalha de Don Vincenzo - Grant Morrison (texto) e Simone Bianchi (arte);

Três dias dos mortos - Grant Morrison (texto), Ryan Sook (desenhos) e Mick Gary (arte-final);

Segredos sexuais da Legião Jovem! - Grant Morrison (texto) e Cameron Stewart (arte).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Julho de 2007

Sinopse: Os delinqüentes - Klarion explora a superfície, até que descobre a traição de Melmoth.

A última batalha de Don Vincenzo - Em meio a grandes descobertas sobre Camelot, uma revelação: Justin é uma Cavaleira Andante!

Três dias dos mortos - Misty, a aprendiz de Zatanna, é muito mais do que aparenta.

Segredos sexuais da Legião Jovem! - Ed revela ao Guardião de Manhattan segredos sobre o passado da Legião Jovem.

Positivo/Negativo: Sete Soldados da Vitória é um grande jogo. E sua quarta edição não marca apenas a chegada à metade da partida. A revista também traz a conclusão de duas das sete minisséries que compõem o projeto monumental de Grant Morrison.

Tanto Cavaleiro Andante quanto Guardião de Manhattan encerram-se depois de boas contribuições para a evolução da narrativa. Na história da jovem Justin, traçou-se a origem da ameaça. Na do repórter-herói, Morrison plantou pistas de como o grupo dos Sete Soldados atuais foi forjado.

A essas alturas, com duas séries encerradas e duas prestes a acabar, a história arquitetada pelo roteirista escocês já tem forma bem definida - e continua a evoluir a olhos vistos. Mas, para entender o que está se passando, o leitor precisa prestar atenção aos detalhes.

As pistas espalhadas pelas HQs são muitas. Algumas são desvendadas na utilíssima seção Intersecções, sempre no fim da revista (tratando da edição anterior). Outras exigem que o leitor corra atrás, lendo, relendo e pesquisando.

Outro ponto a ser destacado na série é a arte: os artistas não só estão adequados ao gênero das HQs que produzem, como estão fazendo um trabalho extremamente relacionado com o melhor da ilustração dos dias atuais.

Se este mesmo roteiro fosse feito há cinco anos, Sete Soldados da Vitória seria muito diferente visualmente. O destaque vai para Frazer Irving, de Klarion e também para Simone Bianchi, impressionante como sempre.

Mais do que uma experiência narrativa radical, Sete Soldados da Vitória é uma HQ surpreendente, capaz de arrebatar o leitor de formas diversas ao longo da leitura.

Classificação:

4,0

Leia também
Já são mais de 470 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA