Confins do Universo 112 - É guerra! Quadrinhos no front!
OUÇA
Reviews

X-MEN # 28

1 dezembro 2004


Título: X-MEN # 28 (Panini Comics) - Revista mensal

Autores: Novos X-Men - Grant Morrison (roteiro) e Frank Quitely (desenhos);

Fabulosos X-Men- Chuck Austen (roteiro)e Kia Asamya;

Wolverine - Frank Tieri (roteiro) e Sean Chen (desenhos).

Preço: R$ 6,00

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Abril de 2004

Sinopse: Em Novos X-Men, Xorn e seus alunos, que acampavam na floresta próxima ao Instituto, acabam se tornando alvo dos O-Men, os maníacos ladrões de órgãos internos de mutantes.

Já Quentin Quire e sua equipe deixam as escaramuças e partem de vez para o conflito aberto. E que melhor ocasião para agir do que o dia em que o Instituto iria abrir suas portas para estudantes humanos?

Fabulosos X-Men mostra o ajuste de contas do Fanático com seu passado, abrindo caminho para que o gigantesco irmão do professor X repense suas atitudes. Além disso, a presença de Stacy X na equipe continua gerando conflitos.

No novo arco Espécie Dominante, a equipe do Anjo é chamada para ajudar a resolver homicídios perpetrados por mutantes que não consideram a coexistência entre espécies como algo aceitável. Participação especial de um certo baixinho canadense.

E por falar em Wolverine, ele fecha a edição deste mês. Para livrar a cara de um amigo, Logan precisa fazer uma acordo com a máfia, nem que isto signifique se meter no meio de uma guerra de famílias.

Positivo/Negativo: No segundo episódio do arco Rebelião no Instituto Xavier a história começa a deslanchar de vez, com os autoproclamados "Novos X-Men" de Quentin Quire partindo para o confronto direto com seus mentores.

A trama paralela mostrando o conflito de Xorn com os O-Men é eficiente e bem resolvida. Morrison mostra mais uma vez que é mestre em criar climas de suspense, gerando uma grande expectativa pelos desdobramentos da saga. Os desenhos de Frank Quitely, como sempre, são um show à parte, mesclando influências americanas e européias em um traço muito original.

Já as duas aventuras dos Fabulosos X-Men deixam um pouco a desejar em relação às boas edições que se seguiram à estréia de Chuck Austen no título. O autor começa a fazer jus à fama de escritor "noveleiro", que carrega demais a mão nos dramas pessoais de seus personagens.

O Fanático com sua previsível conversão para o lado "do bem" mostra bem essa tendência. As recordações do relacionamento tumultuado com o pai, a reavaliação de suas atitudes e até a destruição de sua antiga casa foram um tanto forçadas. As reações preconceituosas do Homem de Gelo e do Estrela Polar em relação ao passado de Stacy X na prostituição também parecem deslocadas, visto que eles, como mutantes, conhecem muito bem os males da discriminação.

No mais, o novo arco está apenas em seu primeiro episódio, sendo necessário aguardar seu desenvolvimento para melhor avaliá-lo. Quanto ao novo desenhista, o consagrado mestre dos mangás, Kia Asamya, certamente dividirá opiniões devido ao seu traço estilizado, cuja marca registrada são os "narigões" de todas as figuras humanas. Leitores que não desgostem do estilo nipônico de quadrinhos não terão dificuldade em apreciar, ou ao menos suportar a mudança.

Wolverine está em sua segunda história publicada no Brasil após a entrada do novo editor original, Axel Alonso. Foram nítidas as mudanças nestas duas edições, felizmente, para melhor. Saíram os velhos vilões fantasiados de sempre e o clima de filme "B" que vinham marcando os últimos números.

A nova abordagem é mais "pé no chão", com Logan se deparando com inimigos mais humanos. A trama envolvendo uma guerra de facções mafiosas pode não ser um primor de originalidade, mas consegue prender a atenção.

Apesar de não ter sido tão bom quanto a edição anterior, este foi número de X-Men foi bastante razoável.

Classificação:

4,0

Leia também
Já são mais de 470 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA