Confins do Universo 118 - Soltando os bichos!
OUÇA
Universo Paralelo

A Patada: 50 anos do melhor pior jornal de Patópolis

11 maio 2020

E lá se vão 50 anos da fundação do maior jornal de Patópolis. Apesar de que isso não quer dizer muita coisa, a julgar pela precariedade estrutural e profissional imposta pelo seu proprietário e editor (Tio Patinhas) e os principais - únicos? – repórteres do periódico, os incompetentes Donald e Peninha.

Seja como for, A Patada tem a redação mais divertida dos quadrinhos, ao ponto de ninguém se importar com as notícias do jornal, mas, sim, com o que os jornalistas vão aprontar para consegui-las - e em que momento eles serão demitidos. Quem não concorda com isso, deve ser leitor da concorrente A Patranha, do milionário excêntrico Patacôncio.

Criado nos Estados Unidos pelo Disney Studio Program, para exportação das HQs, o principal diário patopolense estreou em janeiro de 1970, com roteiro de Dick Kinney e desenhos de Tony Strobl. Foram quase 200 histórias, nenhuma delas publicada nos EUA.

No Brasil, o sucesso da série foi imenso, desde que a HQ de estreia do jornal, A Trinca Fecha-Ópera, foi pubicada em O Pato Donald # 966 (maio de 1970). A Editora Abril produziu mais de 100 histórias com A Patada como pano de fundo, com direito a dedicar três números de Edição Extra (respectivamente em julho de 1983, dezembro de 1984 e abril de 1986) e o Almanaque do Pato Donald # 10 (outubro de 2012). O nome em português foi idealizado por Alberto Maduar, que já usava esse título no informativo do mural dos funcionários da Abril, na época.

Foi nas páginas de A Patada que surgiu Pena Kid, spin-off de Peninha, criado na Abril por Ivan Saidenberg. O personagem de faroeste era escrito e desenhado por Peninha para a seção de quadrinhos do jornal. Para a mesma seção, o pato tresloucado também produzia a série "Assombração do Porão da Mansão do Senhor Barão", protagonizada pela pequena aranha Teteia.

Depois de Estados Unidos e Brasil, a Itália continuou produzindo HQs com o jornal, que naquele país é chamado de Papersera. Algumas das mais recentes dessas histórias italianas foram publicadas por aqui pela Culturama, em 2019, no gibi Tio Patinhas # 4.

Para se manter sempre bem informado sobre tudo que acontece em Patópolis, recomenda-se não ler A Patada. Mas, se quiser rir bastante com os bastidores da redação, a dica é: "Extra! Extra! Tio Patinhas flagra Donald dormindo em serviço e demite Peninha por destruir máquinas de impressão!"

Já são mais de 570 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA