Confins do Universo 134 - Quadrinhos e esportes: dá jogo, nocaute, pedal... -
OUÇA
Reviews

Cabra D’água e a peleja contra os gigantes

Editora DracoR$ 39,9080 páginasLançado em novembro de 2019

Autores: Airton Marinho (roteiro), Lederly Mendonça (desenhos) e Leopoldo Anjo (desenhos).

 

Edição especial.

8 setembro 2020

Sinopse

Após controlar um estouro de manada, um rapaz de camisa branca, calça preta e cabelo comprido acaba se metendo nas artimanhas dos poderosos de uma cidadezinha do interior do Nordeste.

O que os aproveitadores não sabem é que esse é o Cabra D’água, um sujeito totalmente feito de água que não leva desaforo pra casa.

Positivo/Negativo

O quadrinho nacional segue crescendo em produção e qualidade, mas o subgênero dos super-heróis parece ficar para trás nestes quesitos.

Enquanto as sátiras funcionam muito melhor, as tentativas de produzir obras sérias nessa linha oscilam, quase sempre, entre o ufanismo ingênuo e a violência questionável. Não à toa, muitos desses supers se vestem como mascotes nacionalistas ou refugos dos anos 1990, com suas lâminas e garras. E nem vale mencionar o que fazem com as heroínas.

Parece difícil entender que todo o background da cultura norte-americana, que gerou os arquétipos super-heroicos, está muito distante da nossa. Desta forma, qualquer coisa traduzida ao pé-da-letra resulta apenas em um pastiche pintado de verde e amarelo.

Falta decodificar o subgênero dos super-heróis e adaptá-lo à nossa realidade, à nossa cultura, criando algo brasileiro de verdade. Algo único. Algo como Airton Marinho fez com o seu Cabra D’água.

O personagem, um herói errante que vaga pelo sertão nordestino ajudando a quem precisa com seus poderes hídricos, apareceu pela primeira vez em Gibi Quântico # 1, em 2014. No ano seguinte, ganhou uma edição especial pela Editora Draco, intitulada Terra Sitiada.

Sem uniforme extravagante ou capa, o Cabra D’água usa uma roupa comum, como qualquer pessoa normal mais preocupada em ajudar em uma terra castigada pelo clima e pela corrupção dos poderosos.

Depois de um longo hiato sem histórias novas do personagem, a Draco lançou em 2019 Cabra D’água e a peleja contra os gigantes, novamente com Airton Marinho no roteiro e arte de Lederly Mendonça, mais conhecido por seu trabalho como roteirista da Turma da Mônica.

A revista ainda conta com uma HQ extra curta, escrita por Marinho e ilustrada por Leopoldo Anjo, de Decahedron, com a primeira aventura do herói e dois excelentes textos extras.

Desta vez, Cabra D’água chega a uma pequena cidade aterrorizada por um político corrupto e seu bando que, de tempos em tempos, vem em busca dos jovens do vilarejo para os transformar em escravos.

Após encontrar um garotinho que tenta livrar o irmão do terrível destino nas mãos dos vilões, Cabra D’água vai até o vilarejo para ajudar o povo a conquistar sua liberdade. E é aqui que o personagem se diferencia dos super-heróis gringos.

Marinho foge do padrão quase divino e, ao acrescentar nossas próprias características, transforma seu personagem em um símbolo inspirador. Ele não irá salvar o mundo, mas vai ajudá-lo a se salvar. Vai lutar ao lado do povo e defendê-lo quando necessário, mas não vai tomar a luta para si, correndo o risco de que tudo volte ao normal quando partir em busca de novas aventuras.

Esta é a brasilidade que falta nos gibis de super-heróis nacionais que pipocam nas redes sociais, quase sempre trazendo militares e deuses como responsáveis pela salvação do povo.

É interessante também ressaltar a escolha dos poderes do personagem, originados do elemento cuja falta, durante tanto, tempo assolou (e ainda assola) o Nordeste com seca e fome.

Ainda que este paralelo, do herói que salva o povo nordestino na forma daquilo que ele mais precisa, seja muito interessante, falta esclarecer um pouco mais sobre o passado do protagonista e como funcionam seus poderes.

Este tipo de mistério pode funcionar em uma revista mensal de super-heróis, mas em um álbum sem periodicidade definida, ficar sem pistas mais relevantes é um pouco frustrante.

A arte de Lederly Mendonça é um belo acerto para a HQ. Com um tom mais leve e cartunesco, seus traços criam um contraste interessante com o ambiente árido e castigado do sertão e o tema da história. As cores quentes e arenosas complementam o cenário com louvor.

Para a história extra, faltou um pequeno texto situando o leitor e esclarecendo as similaridades entre as aventuras, já que a segunda apresenta a primeira aparição do Cabra D’água, com Airton Marinho e Leopoldo Anjo em seus primeiros passos nos quadrinhos, lá em 2014.

Com seus erros e acertos, Cabra D’água e a peleja contra os gigantes é um álbum caprichado da Editora Draco e um quadrinho muito divertido, que apresenta um gigantesco leque de possibilidades a serem exploradas por Marinho em seu universo de super-heróis sertanejos.

Um alento, sem dúvida, pois precisamos cada vez mais de histórias leves e divertidas que nos inspirem a lutar por nossa liberdade e defender nosso povo.

Classificação:

Leia também
Já são mais de 640 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA