Confins do Universo 126 - Dando cores aos quadrinhos
OUÇA
Reviews

SAMURAI X # 1 e 2

1 dezembro 2001

Título: SAMURAI X # 1 e 2 (JBC) - Mensal

Autores: Nobuhiro Watsuki (roteiro e arte)

Preço: R$ 3,90

Data de lançamento: Junho / Julho 2001

Samurai X #1Sinopse: Kaoru Kamyia é a dona de um dojo (escola de artes marciais) que enfrenta problemas quando um assassino passa a sujar o nome do estilo que ela ensina. Vítima de um ataque, ela é salva por Kenshin Himura, um andarilho sem lar, no Japão do século XIX.

Na verdade, o tentativa de assassinato é um complô por parte de Gohee e Kihee Hiruma para poderem ficar com o prédio do dojo.

Kenshin revela ser, na verdade, um importante assassino, que havia lutado na guerra que instituiu a chamada Era Meiji. Ao mesmo tempo em que ele duela com inimigos como os irmãos Hiruma e ladrões normais, enfrenta assassinos associados a complexos complôs governamentais.

Samurai X # 2Positivo/Negativo: Samurai X é um ótimo quadrinho de ação. A coisa aqui gira extremamente rápida, com cenas de luta muito bem feitas. A história é bem divertida e sem pretensão, como os quadrinhos de heróis deveriam ser feitos. A arte é extremamente bem trabalhada. A pesquisa histórica também é caprichada (apesar de confundir a cabeça dos pobres ocidentais, como vamos ver depois). Para quem gosta de comics (como o autor deste review), a diversão é encontrar personagens inspirados nos quadrinhos da Marvel/DC.

Um fator que pode estranhar quem não está acostumado com mangás são as pequenas seqüências caricatas, que contrastam com lutas violentíssimas.Outra coisa meio maluca é o fato do Kenshin fazer coisas como parar um projétil de uma arma similar a um canhão com a espada, e destroçar batalhões com facilidade. Isso num mangá de época!

O grande problema da edição brasileira do mangá é que a JBC está tentando ao máximo fazer um produto similar ao original. Basicamente, a edição nacional de Samurai X equivale a dois takohons japoneses, os encadernados de mangá. Só que eles esqueceram de várias diferenças entre os mercados do Japão e do Brasil. A capa é um dos grandes problemas. A primeira edição conta com uma capa na horizontal, e como resultado, os jornaleiros ficaram sem saber se expunham o mangá na vertical ou na horizontal.

Há também um excesso de notinhas explicativas, em geral, para explicar termos que não significam nada para quem não seja japonês ou que esteja fazendo uma tese de doutorado a respeito da Terra do Sol Nascente. Isso confunde muito a cabecinha do pobre e ocidental leitor.

Ao mesmo tempo, faltam textos explicando a situação histórica do Japão na época. Ainda mais considerando que história japonesa é uma matéria praticamente ausente nos currículos escolares.

Além disso, temos também a questão das tintas se soltando nos dedos na primeira edição, mas o pessoal da JBC teve o "simancol" de corrigir isso na segunda edição. No final das contas, Samurai X é um ótimo mangá, apesar dos pequenos problemas de fidelidade na edição nacional. Se você acha que os comics estão muito caros, com histórias muito complicadas e sem graça, dê uma experimentada nesta revista. Não é um material genial, mas é muito divertido.

Classificação:

4,0

Leia também
Já são mais de 640 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA