Confins do Universo 138 - Não está no gibi; está nos livros! -
OUÇA
Reviews

CONAN, O BÁRBARO # 34

1 dezembro 2005


Título: CONAN, O BÁRBARO # 34 (Mythos
Editora
) - Revista mensal
Autores: Resgate no Abismo do Tempo - Roy Thomas (argumento), Mike Docherty e E. R. Cruz (arte);

A Balada de Bêlit - Roy Thomas (argumento), John Buscema e Steve Gan (arte);

Os Ginetes dos Dragões Aquáticos - Roy Thomas (argumento), John Buscema e Steve Gan (arte).

Preço: R$ 5,70

Número de páginas: 56

Data de Lançamento: Dezembro de 2004

Sinopse: Resgate no Abismo do Tempo - Enquanto um Conan disfarçado de Rei Kull enfrenta uma rebelião no palácio real em plena Cidade das Maravilhas, Sonja encontra o verdadeiro Kull num futuro de quinhentos anos depois.

O soberano da Valúsia e a guerreira da Hirkânia têm de enfrentar o terremoto que destruiu o mundo daquela época e mal escapam com vida para retornar à Era Pré-Cataclísmica e ajudar Conan contra um demônio da Sombra Negra.

Quando tudo termina, a dupla de guerreiros da Era Hiboriana é transportada mais uma vez pelo portal do tempo que a havia lançado à era de Kull.

A Balada de Bêlit - Através de N'yaga, o xamã que acompanha Bêlit, o cimério fica sabendo que ela é filha do rei Atrahasis, de Asgalun, uma cidade-estado shemita, e que o soberano foi assassinado quando Bêlit era ainda menina.

N'yaga fugiu com ela para as Ilhas do Sul (também conhecidas como Ilhas Prateadas), e armou um plano para fazer com que os habitantes a considerassem uma deusa. Desta forma, ela se tornaria a líder deles e, algum dia, poderia recuperar o trono para o qual havia nascido.

Mas, antes, ela enfrentaria um desafio mortal.

Os Ginetes dos Dragões Aquáticos - Apesar de intimidar as tribos ao longo da Costa Negra, Bêlit prefere receber tributos em vez de fazer pilhagens.

Durante uma visita à aldeia dos watambis, Bêlit é raptada pelos temíveis Ginetes dos Dragões Aquáticos - que lutam montados em grandes crocodilos - após uma grotesca batalha na aldeia.

Positivo/Negativo: A intimidadora capa de Boleslav William Felix Robert Sienkiewicz (ou simplesmente Bill Sienkiewicz) já foi exibida nas bancas brasileiras em setembro de 1984, como arte de capa de A Espada Selvagem de Conan # 3, da Abril, se bem que naquela época não apareceu o nome do autor.

A arte original foi feita para ilustrar a capa da revista The Savage Sword of Conan # 102, de 1983, com a história The Iron Lions of the Kharamun. Sienkiewicz também ilustrou um belíssimo calendário do Conan para o ano de 1984.

O desenhista nasceu em 3 de maio de 1958, em Blakely, uma cidade essencialmente "branca" do estado norte-americano da Pensilvânia. Ele freqüentou a Newark School of Fine and Industrial Arts, de onde surgiu para causar grande impacto no mundo dos quadrinhos.

Entre seus grandes trabalhos como ilustrador pode-se destacar Elektra: Assassina (com argumento de Frank Miller, republicada pela Panini recentemente numa edição encadernada).

Para o leitor que gosta de novidades, o índice comentado está ótimo, pois traz informações interessantíssimas sobre o futuro de Conan na Dark Horse.

Passando para a aventura inédita, há a conclusão da segunda passagem de Conan e Sonja pela era do Rei Kull (a primeira foi em Os Guerreiros do Tempo, na antiga revista Graphic Marvel # 15, da Abril Jovem, de janeiro de 1993).

A saga até teve um bom início na edição 32 de Conan, o Bárbaro, mas daí em diante ficou prolixa e sem coerência, servindo mais como um crossover dos personagens de Robert Howard do que como trama autêntica.

Entretanto, Roy Thomas não deixa de ter seus méritos com seu texto inteligente, mesmo que a trama não seja tão envolvente quanto ele gostaria.

A arte segue com os traços do desenhista Mike Docherty (um dos menos expressivos imitadores de John Buscema e Joe Kubert), sob o nanquim do filipino Eufronio R. Cruz (eis o motivo pelo qual o nome dele sempre é creditado como E. R. Cruz).

As outras duas aventuras clássicas dão continuidade à saga de Bêlit, a Rainha da Costa Negra. A primeira ilustra detalhadamente a origem da rainha pirata e a outra dá uma pequena mostra da boa seqüência de aventuras que vem por aí.

Ambas as aventuras clássicas estão sob a tutela artística de John Buscema e Steve Gan, ou seja, uma verdadeira aula de anatomia e jogo de luz e sombra.

Steve Gan, aliás, outro filipino que desenhou Conan, nasceu em 22 de maio de 1945, e aprendeu a arte praticamente sozinho, com muita perseverança e trabalho duro. Trabalhou em vários títulos da Marvel, como Tarzan, Drácula, Ka-Zar, Salomão Kane e Brak, o bárbaro.

 

Classificação:

4,0

Leia também
Já são mais de 540 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA