Confins do Universo 142 - Editoras brasileiras # 3: Grafipar, ascensão e queda -
OUÇA
Reviews

Gavião Arqueiro – Minha vida como uma arma

20 abril 2016

Gavião Arqueiro – Minha vida como uma armaEditora: Panini Comics – Edição especial

Autores: Matt Fraction (roteiro), David Aja (edições 1-3), Javier Pulido (edições 4-5) (arte) e Alan Davis (Young Avengers Presents # 6) (desenhos), Mark Farmer (YAP # 6) (arte-final), Matt Hollingsworth (edições # 1 a # 5) e Paul Monts (YAP # 6) (cores).

Preço: R$ 26,90

Número de páginas: 136

Data de lançamento: Fevereiro de 2016

Sinopse

Clint Barton é o Gavião Arqueiro. Exímio no arco e flecha e membro dos Vingadores. Essas são as suas aventuras longe da equipe.

Positivo/Negativo

Clinton Francis Barton, o Gavião Arqueiro, apareceu pela primeira vez em Tales of Suspense # 57, de setembro de 1964, como um oponente do Homem de Ferro.

Criado por Stan Lee e Don Heck, o personagem, concebido como vilão, mudou de vida logo após sua terceira aparição. Uma vez regenerado, passou a integrar uma nova geração de Vingadores, ao lado da Feiticeira Escarlate, Mercúrio e do Capitão América, na clássica Avengers # 16, de maio de 1965.

Dentre tantos feitos em sua longa trajetória como super-herói, Clint Barton também fez parte dos Vingadores da Costa Oeste, chegando a liderar a equipe, além de assumir as identidades de Golias – nos primórdios da equipe – e de Ronin, mais recentemente.

Este encadernado reúne as histórias solo de Clint, longe dos Vingadores, mas às voltas com problemas na sua vizinhança e com velhas pendengas envolvendo a S.H.I.E.L.D. Em meio a tudo isso, ele ainda precisa moldar uma parceria com Kate Bishop, que até há pouco atendia como Gaviã Arqueira.

O roteirista Matt Fraction realiza um bom trabalho, escrevendo tramas leves e descompromissadas, mas que exploram aspectos interessantes da personalidade do herói e focam principalmente no tom aventureiro tão associado a ele.

São tramas divertidas, que têm na leveza seu maior mérito para conquistar novos leitores.

Quanto aos desenhos, a arte de David Aja é muito boa e colabora para o tom despojado do título. Vale dizer que tanto o traço quanto a narrativa trazem ecos da obra de David Mazzucchelli nos anos 1980, principalmente à frente do Demolidor em A Queda de Murdock, e do Batman, em Ano Um (ambos realizados em conjunto com Frank Miller).

Essa influência pesa mais a favor do que contra o artista, até porque trata-se do talentosíssimo e premiado Mazzucchelli e de trabalhos emblemáticos dos de super-heróis.

Outro artista que aparece na revista é Javier Pulido, com um estilo mais cartunesco, mas igualmente agradável, que combina bem com o espírito da trama.

Por fim, Alan Davis é responsável pelos desenhos de Young Avengers Presents # 6, aventura em que Clint encontra Kate pela primeira vez.

O encadernado compila histórias que saíram originalmente nas revistas Capitão América & Gavião Arqueiro # 1 a # 5, e em Marvel Especial # 11 (fevereiro de 2009), todas da Panini.

Classificação

3,5

.

Compre Gavião Arqueiro aqui!

Leia também
Já são mais de 570 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA