Confins do Universo 199 - O monstro. O mago. Um clássico.
OUÇA
Reviews

J. KENDALL - AVENTURAS DE UMA CRIMINÓLOGA # 50

26 agosto 2009


Autores: Giancarlo Berardi e Maurizio Mantero (texto) e Thomas Campi (desenhos).

Preço: R$ 8,90

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Janeiro de 2009

Sinopse: Nas investigações de um acidente de carro, surge no fundo do rio o misterioso cadáver de uma mulher cujos olhos foram extraídos. A criminóloga Júlia é chamada para auxiliar na busca ao assassino.

Positivo/Negativo: Nesta edição, mais uma vez, as qualidades de J. Kendall se destacam à primeira vista: é uma boa história policial, com um roteiro elegante e envolvente e um desenho em preto e branco muito bonito, bem acima da média do que se vê em bancas brasileiras. Como resultado, surge uma narrativa encantadora, que se acompanha, com gosto, quadro a quadro.

Pois, por vezes, as melhores características das aventuras da criminóloga Júlia acabam revelando os poucos defeitos da série.

Esta edição é um exemplo disso. O problema está justamente no acidente que desencadeia a trama. Dois carros quase se chocam porque um está na contramão. O outro, por infortúnio, acaba saindo da pista e caindo no rio.

Até aí, tudo bem. Só que o motorista de um carro está bêbado, enquanto a moça que dirige o outro fala ao celular. Ou seja: os dois têm motivos de sobra para entrar na contramão. E quando um dos automóveis despenca, o leitor fica perdido, sem saber quem se deu mal.

Claro, o defeito é pontual, em apenas uma cena - um momento, portanto, e nada mais. Mas o instante em que o leitor sente-se desnorteado acaba marcando-o. Com a pequena confusão, é preciso voltar, rever a cena, tentar entender - coisa muito incomum em J. Kendall.

Que há um problema na narrativa, não resta dúvida. Ele chama a atenção. Mas o motivo disso é que espanta.

O fato é que a narrativa da revista é tão cristalina que ela própria entrega o pequeno defeito. É como uma ranhura em um minério: é no diamante lapidado, e não no cascalho, que uma rachadura fica mais evidente.

Em Júlia, até mesmo os defeitos atestam a qualidade da série.

 

Classificação:

4,0

Leia também
Já são mais de 570 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA