Confins do Universo 199 - O monstro. O mago. Um clássico.
OUÇA
Reviews

J. KENDALL - AVENTURAS DE UMA CRIMINÓLOGA # 93

1 dezembro 2012

J. KENDALL - AVENTURAS DE UMA CRIMINÓLOGA # 93

Editora: Mythos - Revista mensal

Autores: Giancarlo Berardi (argumento), Giancarlo Berardi e Maurizio Mantero (roteiro) e Mario Jannì (arte) - Publicado originalmente em Julia # 93.

Preço: R$ 8,90

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Agosto de 2012

 

Sinopse

Esqueletos no porão - Um simpático e prestativo casal de velhinhos é, na verdade, uma dupla de assassinos insaciáveis. E Minnie, a filha de Emily Jones, resolveu sair de casa e não deu mais notícias. São dois casos para Júlia Kendall resolver.

Positivo/Negativo

"Porque a vida é uma piada e todos nós, com o nosso orgulho, somos só pedaços de carne que andam!"

Essa é uma frase que surgirá bem no final da HQ, dita por um dos assassinos seriais (isso não é nenhum "estragar surpresas" porque já sabemos que os idosos são os assassinos desde a capa). Ela é o espírito desta trama, que gira em torno do abandono.

Pais desatentos que abandonam a filha sem lhe dar atenção, abandonam um ao outro mais tarde, e são abandonados por ela depois. E um casal que procura pessoas à própria sorte para matar. E, claro, a investigação está nas mãos de uma órfã, solteira, que mora sozinha com sua gata.

Abandono não parece ser um bom tema para piadas, mas o que o personagem quer dizer é sobre a gratuidade das situações.

Os seres humanos são orgulhosos de sua condição demasiada humana, mas não passam de pedaços de carne batendo de um lado e do outro da existência, acreditando que há salvação e sendo abandonados de qualquer esperança.

Isso em um único dia. Só pode ser uma piada: previsível. Se bem contada, satisfaz; se mal conduzida... bem, é só uma piada.

Dentro dessa visão pessimista, desumanizadora, o personagem chega ao hedonismo bizarro do homicídio e do canibalismo.

Quanto à construção, o sempre elogiado ritmo da revista está um pouco atropelado aqui com dois enredos que exigem bastante atenção, prejudicando um pouco o fumetto.

Mas como reclamar de um gibi que coloca ao leitor o tipo de questão acima?

 

Classificação:

4,0

Leia também
Já são mais de 570 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA