Confins do Universo 199 - O monstro. O mago. Um clássico.
OUÇA
Reviews

PROMESSAS DE AMOR A DESCONHECIDOS ENQUANTO ESPERO O FIM DO MUNDO - POTLATCH

1 dezembro 2012

PROMESSAS DE AMOR A DESCONHECIDOS ENQUANTO ESPERO O FIM DO MUNDO - POTLATCH

Editora: Independente - Edição especial ou HQ online

Autor: Pedro Franz (roteiro e arte).

Preço: R$ 25,00

Número de páginas: 64

Data de lançamento: Setembro de 2012

 

Sinopse

Uma revolução urbana em andamento é contida com violência pelo aparelho repressivo do Estado. Em meio a isso tudo, há uma esperança de libertação, ao menos para dois jovens.

Positivo/Negativo

Uma arte como as histórias em quadrinhos pode ser pensada por diversas abordagens (e o que na vida também não pode?).

A se pensar somente na estética da obra (coisa que muita gente diz ser um erro, já que as obras sempre se constroem sobre o tudo que são), há algumas linhas aproximativas. Já que as HQs são a fusão de texto e arte, usar lentes analíticas da literatura e das artes visuais parece ser algo defensável.

E como a maior parte dos quadrinhos publicados conta uma história, eles são narrativos. E há um calhamaço de manuais de cinema (outra arte mista, se é que existe alguma que seja "pura") dedicados a pensar no ato de contar a história.

Some-se a isso uma técnica inerente aos quadrinhos, que pode ser chamada de narrativa de HQ, que trata da relação entre os quadros, entre as páginas, entre texto e imagem e sua significação para o leitor.

Isso tudo para explicar que a obra do artista Pedro Franz não se enfraquece debaixo de nenhuma dessas luzes, mas é bem compreendida quando analisada como um objeto de artes visuais.

E objeto é uma palavra tremendamente ruim, pois não se trata somente da HQ.

Se as artes visuais explodiram em opções durante todo o Século 20, os quadrinhos se mantiveram mais ou menos naturalistas, com toques expressionistas aqui, impressionistas ali. A própria ideia de quadrinho abstrato não é unânime, imagine o leitor relacionar quadrinhos a performance, land arts ou light painting.

Franz não vai tão longe nesta obra, mas lida com um fator muito valorizado pelos artistas contemporâneos, o conceito.

Promessas de amor a desconhecidos enquanto espero o fim do mundo, mais que o título de uma HQ brilhante, é um projeto. Tudo começou anos atrás, quando Pedro Franz passou a publicar na internet os primeiros capítulos de sua HQ, que seriam reunidos com o subtítulo de Volume 1 - Limbo. Os leitores mandaram suas fotos 3 x 4 pra ele, que foram incluídas nas páginas da história e nas capas de cada capítulo.

O autor continuou a publicar os capítulos 5 a 8 de Volume 2 - Underground na internet. Essa segunda parte trouxe na versão impressa uma proposta narrativa ousada: em vez de capa, um envelope com páginas soltas e não numeradas, possível de ser lida em qualquer ordem. Aqui, a participação do leitor aumentou ainda mais. Afinal, era ele quem punha ordem na história.

Vieram, finalmente os quatro capítulos finais, coletados como Volume 3 - Potlatch. E foi aqui que tudo fez ainda mais sentido. A narrativa dos personagens chega a um final e se conclui bem, mas há algo muito mais interessante neste número.

E não se trata apenas da arte e do uso de cores de Franz, que o leitor sente a evolução em cada edição e que está bem melhor técnica e artisticamente no terceiro volume. Mas também é isso.

A última parte do trabalho de Promessas... põe fim a um longo ciclo de trabalhos do artista, iniciado em meados de 2009. E Potlatch tem tudo a ver com isso. O conceito é de algumas tribos indígenas, que é se desfazer de seus bens materiais e entregar a amigos e parentes. E esse é o mesmo conceito usado por Franz e não apenas nas atitudes dos personagens na trama.

Ele se desapega da sua vaidade em mostrar a diferença entre os trabalhos, como que imprimindo sua trilha até ali. Deixa de lado um trabalho de vários anos que o "apresentou" ao mundo dos quadrinhos nacionais. O blog blog Notas sobre o fim, que Pedro mantinha desde o começo, com diversas explicações e partes do processo foi apagado.

Mais: o autor leiloou os originais do terceiro volume para poder bancar a impressão da revista (novamente, o papel ativo do leitor na obra, agora como financiador) - e só soube o formato e o tipo de impressão e papel após o leilão, pois tudo dependia de quanto seria arrecadado.

(É uma mostra de que nem sempre livrar-se de tudo significa arrependimento ou mágoa. Um ciclo foi encerrado e novos se iniciam.)

Em um meio como os quadrinhos, ainda há muitas possibilidades de mostra estética. Pedro Franz simplesmente acrescentou o conceito em toda a sua ação artística e conseguiu um resultado brilhante.

Pedro Franz se desapega de seu Promessas... e o doa ao leitor. Mesmo quem não comprou original ou as revistas pode baixar e ler tudo gratuitamente no seu blog.

Mesmo tendo se livrado de tudo com Potlatch, muita coisa ainda ficou. Para o artista e para seus leitores.

 

Classificação:

4,0

Leia também
Já são mais de 570 leitores e ouvintes que apoiam o Universo HQ! Entre neste time!
APOIAR AGORA